Da teoria à prática: a experimentação é fundamental para aprender Ciências

As crianças são seres naturalmente questionadores. Elas querem entender o mundo e interpretar os fenômenos que vivenciam no dia a dia. Neste sentido, as aulas de Ciências podem ajudar os estudantes a encontrar respostas para muitas questões. Mas, para isso, é preciso trabalhar o saber científico de forma a motivar e facilitar a aprendizagem dos pequenos.

Isso porque a Ciência é uma área baseada na experimentação e na observação. É dessa maneira que os cientistas fizeram e fazem grandes descobertas. Então, por que insistir apenas em aulas teóricas para ensinar o que é importante também ser posto em prática?

De acordo com o professor Thomas Rocha Sievers, especialista em ensino de Ciências e mestre em Ciência e Tecnologia, é quase um consenso que a experimentação é uma atividade fundamental no ensino desta disciplina. Contudo, a vivência nas escolas mostra que as atividades experimentais são pouco frequentes.

Entre as razões para que não ocorram aulas experimentais nas escolas, podemos citar:

  • Formação acadêmica inadequada de professores;
  • Escassez de recursos físicos, como equipamentos, reagentes e vidrarias;
  • Falta de livros de apoio para professores e alunos;
  • Falta de tempo para planejamento das aulas;
  • Aulas muito curtas para desenvolvimento de experimentos.
A Ciência é uma área baseada na experimentação e na observação, por isso é importante que os alunos aprendam na prática. Foto: Pixabay.

Desmistificando a experimentação

Desta forma, alguns fatores podem dificultar a programação de atividades experimentais nas aulas de Ciências. Entretanto, é importante derrubarmos alguns mitos. Um deles, aliás, é que a experimentação precisa ser feita em laboratório e com equipamentos de alta tecnologia.

Isso não é verdade. É claro que os alunos gostam de novos espaços. Contudo, mesmo dentro da sala de aula é possível propor experiências. Muitas delas podem ser feitas com materiais alternativos ou reaproveitados. Além disso, até o pátio da escola pode ser um bom local para estimular observações com os alunos. O próprio Isaac Newton, dizem, criou a Teoria da Gravidade ao observar uma maça cair de uma árvore. Então, professor, que tal explorar mais a nossa criatividade e a criatividade dos nossos alunos?

Mesmo dentro da sala de aula é possível propor experiências para os alunos aprenderem Ciências. Foto: Freepik.

No fim das contas, o que é realmente essencial para uma boa aula experimental é o percurso investigativo proposto aos estudantes. Assim, a criança deve aprender a elaborar hipóteses, formular problemas, recolher dados, pesquisar e interpretar os resultados. Isso é fazer ciência!

Benefícios para o ensino-aprendizagem

De acordo com Sievers, que também é Consultor especialista em Ciências na Brink Mobil, aulas pautadas na pesquisa científica e na experimentação possibilitam o desenvolvimento da oralidade, da escrita, da leitura e, fundamentalmente, da criticidade. “Para isso, é importante estimular os estudantes, após uma leitura ou uma conversa, que eles reproduzam com suas próprias palavras aquilo que foi abordado. Isso porque, esse processo auxilia o desenvolvimento do argumento. Algo fundamental em uma discussão científica”, destaca.

Como costumam ser desenvolvidas em grupo, as aulas experimentais estimulam convivência, a argumentação e a discussão entre os indivíduos. Além disso, aulas experimentais trazem motivação para as salas de aula. “Traga um problema interessante, permita que os alunos experimentem. Seja criativo você verá um engajamento enorme por parte deles”, garante o professor.

As aulas experimentais estimulam convivência, a argumentação e a discussão entre os indivíduos. Foto: Freepik

Por fim, as experiências também permitem que o aluno relacione o conteúdo ao cotidiano, o que pode motivar e facilitar a aprendizagem. Com as experiências, cada criança faz seu próprio percurso de investigação, desenvolvendo, assim, a autonomia e a criatividade.

Laboratório de Ciências

Para tornar o aprendizado de Ciências mais dinâmico e prazeroso, a Brink Mobil conta com o projeto
Laboratório de Ciências. São materiais, equipamentos, livros de apoio e formação pedagógica que promovem a alfabetização científica. Vale dizer que, por ser estruturado para atender as especificidades das etapas de ensino aos quais se destinam, o laboratório pode ser implementados tanto no ensino fundamental quanto no médio. Isso porque oferece materiais e equipamentos adequados para cada faixa etária, garantindo assim a progressão da aprendizagem de maneira efetiva e segura.

Os materiais que compõem o Laboratório de Ciências da Brink Mobil são selecionados conforme os conteúdos de Ciência, possibilitando a exploração dos conceitos. Foto: Divulgação.

A ideia é criar um ambiente de experimentação e descobertas que contribua com a formação dos estudantes. Além disso, a equipe de assessores de Ciências da Brink desenvolve cursos de formação continuada para capacitar os professores da rede que adquire o projeto.

Leia também