Ensino interdisciplinar para uma aprendizagem mais criativa

“A educação, em primeiro lugar, precisa formar aprendizagens que sejam interessantes, criativas e divertidas. Não apenas uma reprodução de conhecimentos de ideias prontas e estabelecidas”. A frase é de Georgya Correa, Mestre em Educação, idealizadora e diretora pedagógica da Escola Teia Multicultural. Ela conta porque a interdisciplinaridade, ou seja, a interação entre duas ou mais disciplinas e áreas do conhecimento, está ganhando espaço nos currículos escolares. Segundo ela, pensar um ensino interdisciplinar é a melhor forma de trabalhar para suscitar o interesse dos alunos.

Assim, diversas escolas têm adotado em seus currículos a abertura para trabalhar com projetos que mesclam disciplinas. Neles, educadores de diferentes áreas do saber somam esforços para oferecer os conteúdos expressos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para cada faixa etária, a partir de assuntos correlatos.

Esta visão prepara o aluno para um mercado de trabalho cada vez mais exigente por profissionais com múltiplas competências. É o que afirma o professor Roger Anderson da Silva. Ele é assessor de Geografia dos Anos Finais do Centro de Inovação Pedagógica, Pesquisa e Desenvolvimento do Colégio Positivo (CIPP). “Permite ao aluno romper com as caixinhas. Assim, quando for entrar no mercado de trabalho, ele vai ter que ser um profissional multifuncional. Vai ser capaz de relacionar diferentes assuntos, não importa de que área”, destaca. 

O ensino interdisciplinar

As instituições de ensino trabalham a interdisciplinaridade de diferentes formas. Porém, seja como for, uma das peças chave para inserir essa ação no plano pedagógico é o planejamento coletivo. No Colégio Positivo, por exemplo, os planos são feitos de forma profunda a cada bimestre. Antes de tudo, os assessores de cada área do conhecimento se reúnem para pensar conteúdos a serem expostos juntos. Em seguida, os professores de cada disciplina se unem para traçar atividades comuns para cada área.

Na Teia Multicultural, o ensino interdisciplinar é regra. “Trazemos o conceito o tempo inteiro. Nenhuma matéria é isolada. A gente não parte da ideia do conteúdo por si, mas sim do conteúdo aplicado”, destaca Correa. Nesse sentido, são feitos projetos pedagógicos interdisciplinares por turmas, a cada semestre. Assim, o plano para buscar a parceria entre as disciplinas no conteúdo programático é feito com toda a equipe. 

Na Teia Multicultural a proposta pedagógica privilegia o ensino interdisciplinar e envolve atividades artísticas. Foto: Divulgação/Teia Multicultural

Conheça alguns exemplos de projetos desenvolvidos em cada uma das instituições:

Ciências + Geografia

Os alunos do sexto ano do Colégio Positivo viram o filo de artrópodes nas aulas de ciências. Já nas de geografia, a ideia era estudar os continentes do planeta. Ao invés de trabalhar estes assuntos de forma isolada, as disciplinas se uniram para mostrar os animais artrópodes característicos de cada região. Com isso, abordaram-se temas da biologia no espaço geográfico.

Outro exemplo dessa união de áreas ocorreu quando os alunos falaram sobre as partes do corpo humano. Mas desta vez, a geografia foi usada para explorar o espaço por meio das percepções sensoriais, como olfato, paladar e tato. Ou seja, apresentando-se a relação entre ciência e geografia no estudo do corpo e do espaço.

Português + Geografia

Em outra ação de ensino integrada do Colégio Positivo, a matéria de português abordou o gênero textual entrevista. Para isso, levou aos alunos um material do cantor e compositor Alceu Valença. Porém, como o artista é do Nordeste, nascido em Pernambuco, os docentes viram a oportunidade de abordar também o estudo da região. Assim, incluíram a área de geografia.

Artes + Inglês 

A arte é um eixo condutor da proposta pedagógica da Teia Multicultural. Desta maneira, os projetos promovem as habilidades dos alunos com artes, teatro, cinema, música e apresentações transmídia. Na produção de curtas-metragens, por exemplo, o processo artístico criado pelos alunos teve conexão com a disciplina de inglês. Eles produziram o cartaz do filme, a sinopse e o conteúdo com tradução para a língua inglesa.

Na proposta de desenvolver um curta-metragem, os alunos aprenderam a produzir conteúdos em inglês. Foto: Divulgação/Teia Multicultural

Ciências + Geografia + Português

Com a ideia de produzir uma horta com as crianças, a primeira área envolvida foi a de ciências. Logo, pensaram sobre o plantio, a germinação e o preparo da terra. Então, a partir dessa proposta, viram quais são as plantas que se adaptam melhor a cada região. E também conheceram mais sobre irrigação e como aproveitar a água. Assim, a geografia foi incluída. Além disso, tiveram a escrita de uma narrativa sobre essa experiência. Desta forma, trabalharam os gêneros textuais do português, como diário, poesia, romance e crônica.

Leia Também:
>> Educação ambiental: dicas práticas para ensinar crianças sobre o tema
>> Como o isolamento social alterou o comportamento das crianças