Afinal, o que é aprendizagem significativa?

Por Júlio Furtado

A expressão aprendizagem significativa pode assumir diferentes definições em função da teoria a que for associada. Os principais teóricos que definiram a expressão “aprendizagem significativa” foram Ausubel (1965), Rogers (1958) e Coll (1988). Façamos uma rápida síntese das ideias fundamentais de cada um deles para que possamos construir um conceito claro sobre essa tão falada aprendizagem.

David Ausubel foi um psicólogo norte americano que, na década de sessenta, elaborou uma das primeiras teorias da aprendizagem, que tentam explicar a aprendizagem e o ensino tendo o aluno como referencial. Segundo Ausubel, a aprendizagem é muito mais significativa à medida que o novo conteúdo é incorporado às estruturas de conhecimento do aluno e adquire significado para ele, a partir da relação com seu conhecimento prévio.

Ao contrário, ela se torna mecânica ou repetitiva, uma vez que se produziu menos essa incorporação e atribuição de significado, e o novo conteúdo passa a ser armazenado isoladamente ou por meio de associações arbitrárias na estrutura cognitiva. Neste processo, a nova informação interage em comum à estrutura de conhecimento específico, que Ausubel chama de conceito “subsunçor”.

Quando o conteúdo escolar a ser aprendido não consegue ligar-se a algo já conhecido, ocorre o que Ausubel chama de aprendizagem mecânica, ou seja, quando as novas informações são aprendidas sem interagir com conceitos relevantes existentes na estrutura cognitiva. Assim, a pessoa decora fórmulas, leis, mas esquece após a avaliação.

Carl Rogers nasceu em Chicago, em 1902. Formado em História e Psicologia, aplicou à Educação princípios da Psicologia Clínica. No Brasil, suas ideias tiveram difusão na década de 70, em confronto direto com as ideias Comportamentalistas (behaviorismo), que teve em Skinner um de seus principais representantes.

Rogers é considerado um representante da corrente humanista, que concebe o ser humano como fundamentalmente bom e curioso e que, porém, precisa de ajuda para poder evoluir.

Em sua conceituação de aprendizagem significativa, Rogers deu especial ênfase ao significado interno, aos motivos que levam à aprendizagem. Os principais pontos abordados por Rogers foram os seguintes:

  • Só acontece uma aprendizagem significativa quando o estudante apreende seu objeto como tendo uma relação com seus projetos pessoais; deste modo, o professor deve ajudar o aluno a encontrar e tratar de problemas que lhe sejam significativos.
  • Um ambiente escolar compreensivo e encorajador, a ausência de julgamentos e a avaliação de si mesmo possibilitam que o aluno realize progressos.
  • Um dos melhores meios para promover a aprendizagem consiste em confrontar o aluno com problemas práticos: pessoais, sociais, morais, filosóficos e problemas de pesquisa.

César Coll Salvador é professor da Faculdade de Psicologia da Universidade de Barcelona. Lá, foi o coordenador da reforma do ensino de1990, a Renovação Pedagógica. O modelo desenvolvido por ele e sua equipe inspirou mudanças na educação de diversos países, inclusive do Brasil.

Coll relacionou a disposição para a aprendizagem, preconizada por Ausubel, com um dos enfoques da aprendizagem dado pelos próprios alunos, ao serem perguntados sobre a forma como abordavam a tarefa de estudar: o enfoque profundo. Nesse enfoque, a intenção dos alunos é compreender o significado do que estudam, o que os leva a relacionar o conteúdo que estudam com seus conhecimentos prévios, com a experiência pessoal ou outros temas, a avaliar o que vai sendo realizado e a perseverar até conseguir um grau aceitável de compreensão. É importante compreender o que o enfoque profundo da aprendizagem, análogo à aprendizagem significativa, opõe-se ao enfoque superficial da aprendizagem. Nesse último, a intenção do aluno limita-se a preencher os requisitos da tarefa; assim, mais importante do que a compreensão do conteúdo é prever o tipo de perguntas que possam ser formuladas sobre ele, aquilo que o professor considerará relevante. O interesse é deslocado do núcleo intrínseco do conteúdo para a periferia das exigências externas.

Parece-nos claros alguns princípios comuns da aprendizagem significativa, levando-se em conta as três visões apresentadas.

Os princípios comuns às três visões são:

  • É preciso haver um movimento de dentro para fora, por parte do indivíduo que aprende, com relação ao objeto de conhecimento. Para Ausubel, esse movimento é essencial para desencadear “ancoragem” (caso o que o aluno já saiba seja suficiente para receber o novo). Para Rogers, esse movimento é provocado pelo interesse em função de projetos pessoais e, para Coll, esse movimento está relacionado com a intenção de aprender.
  • O que provoca esse movimento de dentro para fora é um processo que pode ser sintetizado como “fazer sentido”.
  • Em todas as visões, é clara a noção de ampliação do “sistema cognitivo” ou da “capacidade de aprender”, na medida em que aprendizagens significativas ocorrem.

Partindo desses pontos, podemos construir a seguinte definição a seguinte definição:

Aprendizagem significativa é aquela que ocorre a partir do surgimento de um sentido pessoal por parte de quem aprende, o que desencadeia uma atitude pró-ativa que tenta desvendar o novo e (re)construir conceitos que ampliam cada vez mais a habilidade de aprender.
Júlio Furtado