Conheça os benefícios da linguagem multimodal para a aprendizagem

A linguagem multimodal vai muito além da comunicação não verbal. É a integração de imagens, gestos, vídeos, áudios e outros elementos além do texto. Por isso, considerando que cada aluno aprende melhor de uma forma diferente (lendo, ouvindo, falando, vendo;), podemos perceber a importância da linguagem multimodal no contexto escolar, para o alcance dos objetivos de aprendizagem. 

A multimodalidade amplia a percepção do aluno sobre diferentes formas de se comunicar. Assim, a criança percebe que existe uma gama de modos diferentes de emitir e receber uma mensagem. “A linguagem multimodal amplia o olhar do aluno para os diferentes textos: visuais, imagéticos, gestuais, auditivos, entre outros”, resume Sergio Cunha, professor de Artes do Colégio Marista Arquidiocesano (SP) e da Escola Estadual Caetano de Campos – Consolação (SP).

De acordo com Sergio, fazer uso dessa pluralidade de ferramentas possibilita que os alunos sejam mais engajados. “Se pensarmos nas metodologias ativas, na aprendizagem criativa, a linguagem multimodal traz muito isso de estar em contato e ter esse engajamento na produção. Isso acontece porque o aluno vai construindo diferentes possibilidades e percebendo formas de se expressar, de se comunicar e se relacionar.”

<<<Leia também: A importância de trabalhar as Artes entre outras disciplinas

Além disso, a multimodalidade faz com que alunos de diferentes perfis consigam absorver melhor a disciplina trabalhada. Afinal, a partir dela, o professor estimula uma série de fatores sensoriais.

“Temos que compreender que as salas são heterogêneas. Então, tem o aluno que gosta mais de olhar, outro que gosta mais de tocar e pôr a mão na massa, outro que é mais reflexivo. Isso é diversidade e é importante ter isso no dia a dia da sala de aula.”

Apesar de sua complexidade, a aplicação da linguagem multimodal pode ser simples. Gráficos e imagens aliados ao texto são um exemplo clássico de multimodalidade. Assim como as famosas charges e tirinhas que exemplificam conceitos e trazem reflexões aos alunos. Utilizar itens concretos também faz parte do repertório de opções, como jogos de tabuleiro e brinquedos pedagógicos. O mais importante, no entanto, segue sendo a maneira com que o professor utiliza esses materiais para que as aulas se tornem mais interessantes e significativas. 

Tecnologia e linguagem multimodal

A linguagem multimodal tem profunda relação com os meios tecnológicos. Isso porque o avanço da tecnologia e o maior acesso dos alunos a essas ferramentas permitiu uma aproximação do que se trabalha em sala de aula com o que se vivencia fora dela. Assim sendo, ferramentas como aplicativos de celular e vídeos interativos costumam ser incluídas no processo de ensino. 

A linguagem multimodal estimula diferentes respostas sensoriais e aumenta o engajamento dos alunos. Reprodução/Canva

A multimodalidade, porém, transcende o uso da tecnologia. Ela pode ser aplicada através de gestos, danças e outras ações práticas. Em suas aulas, Sergio busca utilizar variadas formas de linguagem multimodal. 

“O corpo fala, o corpo comunica. Não que eu não use a tecnologia. Quando eu projeto uma imagem ou faço a escuta de música, eu tenho os equipamentos por trás. Mas eu trabalho muito essa linguagem no fazer, no apreciar, no olhar. A linguagem multimodal também propõe essa questão de pôr a mão na massa, do gestual, do tato. Eu trabalho muito com as crianças para que elas façam essas relações, expressando por meio de si, do seu corpo, da sua forma de olhar, de enxergar e de escutar o outro”, conta Sergio.

O professor reforça ainda que a tecnologia está a nosso favor, trazendo novas perspectivas de abordar os conteúdos curriculares: “Para ensinar qualquer tema, pode-se usar ilustrações, vídeos, podcasts. São milhares de possibilidades de tratar um tema dentro dessa linguagem.”

Leia também

Como recuperar a aprendizagem prejudicada pela pandemia?

Educação financeira: como abordar o tema em sala de aula

A contação de histórias e os 5 campos de experiência propostos pela BNCC